Av. República do Líbano, 1034 Vila Nova Conceição - SP 11 3059.2020 11 3050.1010

AGENDE ONLINEResultado de Exames
Aumento dos casos de miopia em jovens

Aumento dos casos de miopia em jovens

Vivemos atualmente em uma mundo global, onde, na palma de nossas mãos, temos acesso a mais informação do que jamais poderíamos imaginar ou necessitar. A integração entre internet, redes sociais e os aparelhos celulares tornou muito mais simples a forma de fazermos negócios, realizarmos compras, falarmos com nossos amigos. Mas, à medida que nos tornamos verdadeiramente dependentes dessa tecnologia, é necessário também avaliar as consequências negativas, especialmente para nossas crianças. Estudos têm demonstrado uma epidemia global de miopia, conhecida como o “boom da miopia”. Já falamos sobre esse tema aqui. Pesquisas demonstram a relação entre o aumento dos casos de miopia, bem como uma série de outros problemas de saúde ocular, ao uso excessivo de dispositivos eletrônicos e muito tempo gasto dentro de casa durante a infância. Isso porque a luz natural é protetora da retina, logo, o excesso do uso dos aparelhos eletrônicos, com consequente falta de atividades ao ar livre, levam aos problemas oculares. É muito importante os pais e professores estarem cientes de que existe sim uma epidemia de miopia para que possam ensinar as crianças a terem hábitos saudáveis de uso do celular e outros aparelhos eletrônicos. Além, claro, de incentivarem as brincadeiras fora de casa. Não é uma tarefa fácil estabelecer limites para os pequenos, mas é necessário. Aqui vão algumas orientações: – Manter limites de tempo diários para uso dos celulares. Para as crianças mais novas que não entenderam o conceito de tempo, outros pontos de referência, como um episódio de desenho animado ou um nível de jogo, podem ser mais fáceis. – O uso dos celulares deve ser evitado por pelo menos...
O boom da miopia

O boom da miopia

Um artigo publicado na revista Nature revelou um fato no mínimo alarmante: em quase todos os países do mundo, o número de pessoas com miopia aumentou consideravelmente. Para se ter uma ideia, há 70 anos a China tinha de 10 a 20% de sua população míope. Hoje esse número chega a 90% entre os adolescentes e adultos jovens. Segundo estudiosos, estamos caminhando para uma epidemia global da miopia. Depois de anos de pesquisa realizada em diversos países, concluiu-se que a causa é atribuída às mudanças no estilo de vida da população, mais especificamente ao fato de as pessoas fazerem poucas atividades ao ar livre. Estudos sustentam que a luz natural é protetora da retina e que a permanência excessiva em ambientes fechados, associada ao excesso de leitura (incluindo celulares e computadores), levam ao aumento da miopia. A melhor forma de prevenir é promover atividades ao ar livre para crianças; o aumento da quantidade de tempo que elas passam fora de ambientes fechados realmente pode retardar a progressão desses números. Você Sabia? Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, cerca de 80 % de todas as deficiências visuais podem ser prevenidas ou curadas; Estima-se que 285 milhões de pessoas são deficientes visuais em todo o mundo: 39 milhões de cegos e 246 com baixa visão; Globalmente, os erros refracionais não corrigidos são a principal causa de deficiência visual moderada e grave; Catarata ainda é a principal causa de cegueira em países de renda média e...
Zika Vírus e Problemas Oculares

Zika Vírus e Problemas Oculares

Em 2015, foram identificados os primeiros casos de microcefalia no Brasil. Microcefalia é o nome dado à malformação congênita que impede o desenvolvimento do cérebro dos bebês com perímetro cefálico inferior a 32 cm. De acordo com o Ministério da Saúde, essa malformação está relacionada ao zika vírus, infecção causada pelo vírus ZIKN, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, também transmissor da dengue e da febre chikungunya.   Recentemente, foi feita uma nova descoberta sobre a doença que identifica sua relação com problemas oculares. De acordo com pesquisas publicadas, a microcefalia e o zika vírus afetam a visão, a partir de alterações significativas na retina e no nervo óptico dos bebês. O comprometimento ainda precisa ser avaliado, porém acredita-se, pelo nível das lesões, que haverá uma perda significativa da visão em alguns destes pacientes. É importante, portanto, o acompanhamento multidisciplinar para casos de microcefalia, incluindo a presença do médico oftalmologista, a fim de prevenir, diagnosticar e tratar as doenças oculares, bem como estimular a visão e reabilitação dos pacientes.   Diante dessa triste constatação, torna-se ainda mais necessário o combate e mobilização contra os focos do mosquito Aedes aegypti. É necessário utilizar medidas de prevenção. O combate ao mosquito deve ser incansável e consciente, a partir de ações já disseminadas socialmente, tais como combater a água parada. Deve-se também, especialmente para as grávidas, usar roupas de mangas longas e calças compridas, além da utilização diária de repelente que contenha em sua composição uma das 3 substâncias: Icaridina, DEET e/ou IR 3535.     Entidades públicas, independentes ou coletivas têm se unido, criando ações de mobilização contra essas doenças. Faça também...
Glaucoma – O que é? Como tratar?

Glaucoma – O que é? Como tratar?

Glaucoma é uma neuropatia óptica, cujo principal fator de risco é o aumento da pressão intraocular, que provoca perda de fibras no nervo óptico e na retina, gerando lesões e comprometendo a visão. É a principal causa de cegueira irreversível no mundo em indivíduos com mais de 40 anos. Estima-se que metade das pessoas acometidas por glaucoma desconhecem o diagnóstico, porque apesar de crônica, a doença é silenciosa. Só se nota sua existência quando alcança proporções muito avançadas e com graves danos à visão. Costuma-se classificar o glaucoma como sendo agudo ou crônico. Casos de glaucoma agudo são emergenciais, com forte dor ocular, acompanhada de cefaleia e vômitos. Já no tipo crônico da doença, a pressão ocular desenvolve-se lenta e silenciosamente e, aos poucos, vai danificando a visão.   Quem deve estar mais atento: pessoas com mais de 60 anos, de origem afro-americana ou latina, orientais, casos de glaucoma na família e diabetes, devem consultar o oftalmologista com regularidade, porque possuem maior probabilidade de desenvolver o glaucoma. Embora a doença não tenha cura, pode ser tratada e estabilizada, quando diagnosticada precocemente.   Diagnóstico: feito através de exames oftalmológicos, como: avaliação do fundo do olho, tonometria, fundoscopia, gonioscopia, campimetria e tomografia de coerência óptica do nervo óptico, entre outros.   Tratamento: ocorre de acordo com o tipo do glaucoma e pode ser feito por colírios e pílulas ou através cirurgias. A maioria das pessoas com o glaucoma de ângulo aberto pode ser submetida a um tratamento bem-sucedido com colírios. Alguns deles agem drenando o humor aquoso, mais rápido, enquanto outros reduzem sua produção. Esses medicamentos devem ser usados diariamente. Quando...
DMRI (Prevenção)

DMRI (Prevenção)

Segundo a Associação Brasileira de Retina e Vítreo, a Degeneração Macular Relacionada à Idade acomete, aproximadamente, 30 milhões de pessoas no mundo e é uma das principais causas da cegueira na terceira idade. A DMRI é uma doença que afeta o funcionamento da mácula – a região mais nobre e central da retina, responsável pela visão nítida, detalhada e colorida. Existem dois tipos: a degeneração macular seca e a degeneração macular exsudativa. A primeira, mais comum e menos grave, evolui lentamente e pode causar perda parcial da visão. Já a segunda, pode ocasionar maior distorção da visão, até mesmo provocando vazamento de sangue ou soro na região macular. Realizar exames oftalmológicos de rotina, gerenciar doenças como diabetes e hipertensão, evitar o tabagismo, manter um peso saudável e fazer exercícios físicos regularmente, usar óculos com filtro solar adequado, são formas práticas de prevenção da DMRI. Aos maiores de 60 anos, é necessário também consultar o oftalmologista especialista em retina periodicamente. Além desses hábitos, a alimentação também é um fator preventivo da DMRI. De acordo com estudos do AREDS 2 (Age Related Eye Disease Study), uma dieta rica em luteína, zeaxantina, ômega-3, ácidos graxos essenciais e vitaminas antioxidantes pode de diminuir os riscos de perda da visão e o risco de progressão da doença.   Alguns alimentos podem colaborar para sua saúde ocular:   Dieta rica em vitamina E: avelã, amendoim, óleo de girassol, pistache, castanha-do-pará, abacate, trigo. Dieta rica em vitamina C: maçã, pimentão amarelo, morango, laranja, limão, kiwi, manga, melão, mamão papaia. Dieta rica em omega-3: peixes (sardinha e salmão), semente de linhaça, kiwi, nozes, amora....
Tecnologia para saúde ocular

Tecnologia para saúde ocular

A Eye Clinic investe incessantemente em novas tecnologias, pois acredita que um atendimento de qualidade aos seus pacientes é o melhor investimento. Aqui na Eye Clinic contamos com um aparelho que tem três funções principais: tomografia computadorizada, topografia corneana e biometria. É atualmente reconhecido no meio científico como o mais avançado equipamento para analisar a córnea em todas as suas camadas e superfícies anterior e posterior. O aparelho permite obter resultados mais completos e precisos quando comparado à topografia isoladamente. Sendo assim, ele é utilizado na avaliação e diagnóstico em: Cirurgia refrativa; Ceratocone; Catarata; Pré e pós-operatório de cirurgias oculares. Para mais informações converse com a nossa equipe...